14 - 16 de abril de 2025
São Paulo, Brasil

4º Prêmio de Turismo Responsável WTM Latin America

A WTM Latin America anuncia a edição 2024 dos seus prêmios de turismo responsável - uma iniciativa que promove as histórias mais inspiradoras do setor de viagens e turismo para a promoção do desenvolvimento sustentável em nosso continente. São 06 novas categorias que abordam temas impreteríveis para a conservação do meio ambiente, inclusão e diversidade, desenvolvimento econômico justo e promoção das relações entre turista e seu destino de viagem.

Os finalistas que receberão os “Ouro” e “Prata” Awards serão anunciados em março e a cerimônia de premiação acontece durante a WTM Latin America, em abril de 2024. Não deixe de se candidatar e incentivar aqueles empreendimentos e projetos que merecem ser premiados e podem inspirar todos a promoverem um turismo cada vez mais responsável!  



ORGANIZAÇÃO PAÍS
Apata Colombia Colombia
Asociación de Guias de Turismo Comunitario Explorando el Valle - ASOGTURC Guatemala
EcoGuerreros SC de RL de CV México
Favela Santa Marta Tour Brasil
Fundación Agua y Tierra Panama
Grande Reserva Mata Atlântica Brasil
Grupo Cataratas Brasil
Guyana Tourism Authority Guyana
Impulse Travel Colombia
Instituto Superior Indígena Raúl Karai Correa Argentina
Mama Uma Travel S.A.S. Ecuador
Manakin Nature Tours Colombia
Mujeres a la Cumbre Chile
Parque Nacional de Jericoacoara, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade Brasil
Programa de Descarbonização do Grupo Tauá de Hotéis e Resorts Brasil
Rainforest Expeditions Perú
Rota da Liberdade Brasil
Rutas Ancestrales Araucarias Chile
San Luis Capital - Dirección de Turismo Municipal de SLP México
Say Hueque Argentina Journeys Argentina
Sociedad Comercial Budi Lafken SPA Chile
Travolution Internacional Colombia

As categorias

Melhores iniciativas para a conservação da biodiversidade

Apoiador dessa categoria:

Vivemos um momento único na história da América Latina. 94% das populações de espécies na vida selvagem na região estão em declínio. Como sociedade e setor turístico, precisamos reverter essa tendência, pois sem biodiversidade não há turismo.

Felizmente, existem empresas líderes que estão transformando paradigmas sobre como fazer turismo, integrando ações de conservação e restauração da biodiversidade em seus modelos de negócios. Isso beneficia toda a cadeia de valor e a comunidade que a sustenta, impactando positivamente solos, florestas, captação de água doce, adaptação climática, entre outros.

Somos uma das regiões mais biodiversas do mundo, e o novo compromisso global é conservar efetivamente 30% do planeta até 2030. Para alcançar esse objetivo, precisamos criar alianças para dar visibilidade às iniciativas do setor privado e social. O turismo tem o potencial de impactar milhões de visitantes que buscam essas experiências e aprender com milhares de comunidades locais profundamente conectadas com sua natureza.

O reconhecimento ao Turismo Responsável na categoria “Conservação da Biodiversidade” procura empresas, destinos, comunidades ou grupos organizados que lideram essa transformação, colocando a conservação da vida selvagem no centro de sua proposta de valor.

Melhores iniciativas para promover a diversidade, equidade e inclusão no turismo

Apoiador dessa categoria:

A necessidade de promover a inclusão na indústria de viagens e turismo é mais urgente do que nunca.

As viagens inclusivas garantem que todos se sintam bem-vindos, incluídos e possam ter uma experiência adequada em um destino. Isso promove o pertencimento e capacita as pessoas.

Buscamos empresas e destinos que trabalhem avidamente para garantir que a inclusão tenha um lugar mais proeminente no futuro do turismo, tornando o acesso às experiências turísticas e aos benefícios da indústria cada vez mais justo e equitativo.

Melhores iniciativas para promover o impacto socioeconômico e a construção da paz através do turismo

Apoiador dessa categoria:

O turismo tem experimentado uma expansão e diversificação contínuas, tornando-se um dos setores econômicos de maior porte e crescimento no mundo, proporcionando inúmeros benefícios para a economia e o emprego nos destinos.

Em sociedades que viveram conflitos recentes, o turismo, além de ser uma fonte de renda para as comunidades locais, tornou-se uma bandeira de paz e transformação nos territórios.

Buscamos empresas, administrações e organizações da sociedade civil que estejam trabalhando ativamente na construção da paz por meio do impulso das economias locais, gerando oportunidades de desenvolvimento nas comunidades como protagonistas da atividade turística nos destinos.

Melhores iniciativas de trabalho em rede para promover o turismo responsável nos destinos

Apoiador dessa categoria:

A cooperação e a colaboração público-privada entre os agentes do setor turístico são fundamentais para alcançar o sucesso no planejamento e na gestão de destinos turísticos sustentáveis.

É crucial aproveitar as sinergias e fortalecer as parcerias no destino turístico, envolvendo comunidades, organizações não governamentais, instituições acadêmicas, cientistas e diversos setores produtivos locais para a criação de programas turísticos inovadores.

Buscamos iniciativas inspiradoras que tenham contribuído para a articulação de diferentes atores na criação ou fortalecimento de destinos de turismo sustentável.

Melhores iniciativas para o turismo Indígena e/ou Comunidades Tradicionais

Apoiador dessa categoria:

A riqueza cultural dos nossos povos originários e tradicionais latino-americanos estão entre nossos grandes interesses turísticos na região. Mais que isso, são essas comunidades que protagonizam algumas das experiências mais representativas da diversidade de nosso continente, de nossa incrível biodiversidade e nossa importante história de constituição.

Suas tradições, artesanato, culinária e práticas culturais autênticas oferecem uma experiência única e enriquecedora aos turistas, promovendo a preservação e valorização do patrimônio histórico local.

Além disso, quando o mercado de viagens e turismo incorpora a participação ativa dessas comunidades, seus produtos e serviços, proporciona benefícios econômicos diretos, fortalecendo as economias locais e incentivando a preservação ambiental. Reconhecer e respeitar os saberes ancestrais desses povos é essencial para garantir um turismo responsável e inclusivo, que celebra e preserva a autenticidade cultural da América Latina.

Estamos em busca das histórias que possam ser inspiradoras e fonte de modelo de replicação para a construção de um turismo inclusivo e diverso na América Latina.

Melhores iniciativas para a mitigação das mudanças climáticas

Apoiador dessa categoria:

Os resultados das mudanças climáticas podem se manifestar de várias maneiras, e a indústria do turismo é excepcionalmente vulnerável a elas. A cada ano, o impacto se torna mais evidente e, para muitos, mais devastador.

Secas, inundações, incêndios florestais e condições climáticas extremas causam devastação em comunidades e empresas em destinos ao redor do mundo. Esses eventos não são mais incidentes incomuns ou isolados.

Estamos em busca de empresas e destinos que contribuam ativamente para a descarbonização das operações turísticas, explorem formas inovadoras de se proteger contra ameaças climáticas e influenciem positivamente a conscientização de comunidades locais e visitantes.


Os vencedores de 2023


Melhores soluções para gestão de resíduos plásticos


O Movimento Preserve Pipa buscou uma solução para reduzir o impacto ao meio ambiente e lançou uma garrafa com redução de 20% de plástico em sua composição.

Além da composição com menos plástico, a garrafa também é produzida com 100% de energia renovável, e a meta até 2026 é reduzir 40% de plástico. Além disso, foram retirados mais de 6 toneladas de lixo reciclável do meio ambiente, destinados à comercialização por empresas de reciclagem do estado do RN.

Os jurados afirmam que levantar assuntos como este em destinos pequenos como Pipa é desafiador e que este projeto mostra que a solução é possível, e que deve-se partir de metas alcançáveis. Afirmam ainda que este modelo é altamente replicável em destinos de sol e praia de todo o Brasil e América Latina e deve ser observado de perto para os próximos passos. 


O projeto Dona do meu Fluxo, desenvolvida pela Raízes, une volunturismo com soluções eficientes para a desafio da pobreza menstrual, já beneficiando 4500 mulheres de todo o mundo com a distribuição de coletores menstruais, reduzindo a geração de resíduos em aproximadamente 225 toneladas até o momento.

Os jurados afirmam que o volunturismo foi uma solução inteligente para este projeto e que dá a possibilidade de levantar a atenção necessária para o assunto. Além disso, diante de tantos casos preocupantes relacionados ao volunturismo em todo o mundo, a Raízes nos dá um bom exemplo de como praticá-lo efetivamente e com respeito às comunidades participantes. 


A empresa tem um forte compromisso com a Neutralidade de Carbono.

A contribuição da iniciativa para o meio ambiente vem da redução de resíduos de duas maneiras: primeiro, considerando cuidadosamente o que comprar e, segundo, por meio da reciclagem adequada. Grande parte da reciclagem, como vidro, plástico, metal, papel e lixo orgânico, vai para os agentes comunitários da Associação de Recicladores de Bariloche.

Para os jurados a Wilderness Patagonia reúne uma série de ações que permitem afirmar que cuidam de seu destino para a conservação ambiental. As ações relacionadas ao uso de plástico são replicáveis e mostram que assumir a responsabilidade sobre este assunto muitas vezes envolve ações simples mas de alto impacto local. 

 


Melhores conexões significativas


La Moya é a comunidade indígena Puruha. São 50 famílias que viram na sua cultura e visão de mundo uma forma de aumentar a renda através do compartilhamento de conhecimentos em medicina, gastronomia, costumes e tradições.

La Moya tem apostado no desenvolvimento de uma atividade de turismo solidário com a participação ativa de todos os membros da comunidade, das tradições, cultura, roupas tradicionais, trabalhando com base em uma perspectiva intercultural e buscando sempre a gestão adequada do patrimônio cultural, com um princípio de equidade social na distribuição de seus benefícios.

Este projeto, segundo os jurados, é um grande representante do turismo comunitário latino-americano: é construído com e para as comunidades e as tem como protagonistas. O modelo de desenvolvimento garante que o relacionamento dos anfitriões com seus visitantes promova histórias e trocas autênticas, fato que parece simples mas que está se tornando raro nos últimos tempos. 


O MOBILIZA SLZ é um movimento que surgiu para fortalecer e celebrar os bens mais belos e representativos de São Luís: a Cultura, o Turismo e a Economia Criativa, por meio de uma rede plural e transformadora, baseada em um ambiente de troca e conexão de ideias e experiências.

Na prática, trata-se de um circuito com vários eventos e ações, que podem ser ao vivo ou online, unindo mentes criativas e promovendo uma ocupação criativa e cultural da cidade, resultando em 09 dias de cores vibrantes, ecos musicais, espalhando sabores e deslumbram aos olhos de quem mora e visita a capital maranhense.

Para os jurados este modelo de atividade que promove o turismo para seus próprios residentes, mostrando outras possibilidades de lugar e de cidade para se viver, afirmam que o turismo é uma estratégia eficiente para transformar destinos em lugares melhores para se viver e se visitar. É altamente replicável e promovem o sentimento de pertencimento e orgulho para os moradores do lugar, colaborando de uma forma mais ampla para a promoção turística do destino.


O IPÊ criou uma metodologia inovadora de cursos de capacitação em empreendedorismo socioambiental que inclui mentoria individualizada, com a participação de voluntários de empresas e um investimento semente para fortalecer ou expandir empreendimentos liderados por indígenas e ribeirinhos da região amazônica.

 Os empreendedores comunitários envolvidos agregaram mais valor ao seu trabalho, tornaram a gestão e a comunicação mais eficientes e, consequentemente, obtiveram mais receita e maximizaram seu impacto.

Este modelo de desenvolvimento econômico que empodera as comunidades locais é fundamental para a inclusão de empreendedores em regiões tão remotas, frágeis e com interesses diversos (e opostos à conservação ambiental e desenvolvimento sustentável) como a Amazônia. Um caso que, segundo o júri, é fundamental para ser replicado em outras regiões de todo o continente. 


A Quinti é uma operadora do Equador e Galápagos que projeta experiências autênticas com anfitriões locais e nos trazem uma bela história com experiências sensoriais para sensibilizar os viajantes a terem ferramentas para ajudar pessoas cegas com um a participação de um facilitador cego. Atualmente contam com 8 experiências.

O modelo adotado pelo Quinti parece simples, mas requer coragem para sua adoção. O tema da inclusão de pessoas com deficiência ainda permanece um tabu no turismo e Quinto não se absteve de tomar suas responsabilidades sobre o assunto. Um caso que merece atenção, reconhecimento e replicação de seus pares em outros destinos latino-americanos. 


Melhores modelos de compras locais, artesanato e alimentação


O destino está levando em consideração a vocação turística de Antioquia: turismo de natureza e cultura, dando importância para que os diferentes atores da cadeia de valor, como operadoras de turismo, artesãos, agricultores, entre outros, junto com as administrações municipais, territórios e comunidades locais, trabalhem de forma articulada forma e unir esforços com base na qualidade do serviço.

O júri ressalta que o papel do poder público no desenvolvimento sustentável de um destino muitas vezes é perdido em nosso continente. Com a união de diversos atores do turismo local, o Governo de Antioquia colabora para ser um modelo replicável deste papel de fomento responsável da atividade turística local como estratégia para o desenvolvimento socioambiental a partir de uma atividade econômica.


O bairro de Testo Alto, em Pomerode, Brasil, é conhecido como Rota do Enxaimel, por ser a maior concentração de casas construídas nessa técnica fora da Europa (50 casas em 16 quilômetros).

Em junho de 2021, um grupo de empresários e moradores locais fundou a Associação Rota do Enxaimel, para alavancar a riqueza cultural na atividade turística, gerando apoio econômico para que as famílias continuem preservando o patrimônio e as tradições culturais e rurais.

Com o trabalho que desenvolveram em um ano e meio, o número de visitantes passou de menos de 20.000 para mais de 150.000 visitantes por ano, um aumento de mais de 10 vezes.

Este coletivo local reforça a importância do associativismo no turismo e é um caso exemplar de como nosso setor poder ser fundamental para a conservação do patrimônio cultural e histórico de um pequeno destino, com o empoderamento de pessoas para a decisão sobre seu próprio futuro. 


Abordando mudanças climáticas


Em 2020, Say Hueque iniciou o objetivo de ser a primeira empresa de viagens da Argentina a neutralizar as emissões de CO2 e logo perceberam que precisavam ir além.

Em 2021, iniciaram uma parceria com a Reforestarg, uma ONG local que trabalha para restaurar florestas danificadas na Patagônia. Desde então, doaram uma árvore para todos que viajaram com a empresa e também participaram de plantações massivas.

Em 2022, decidiram ir muito além comprometendo-se a plantar 20.000 árvores até 1º de agosto de 2023.

Os jurados afirmam que Say Hueque demonstra estar assumindo sua responsabilidade com o desenvolvimento sustentável e, em especial, com a conservação ambiental, no memso ritmo em que as emergências mostram-se fundamentais para a manutenção da atividade turística nos destinos em que atua. Ao assumir responsabilidades a respeito das mudanças climáticas mostra que o papel de um operador turístico extrapola as questões locais e diz respeito ao bem estar de todos em um curto e médio prazos. 



A Fundação de Turismo do Mato Grosso do Sul iniciou o processo de certificação de Bonito como destino carbono neutro.

O projeto foi elaborado com base em protocolo que permite medir o impacto ambiental das atividades, produtos e serviços de uma empresa e o ciclo de vida de suas emissões de gases de efeito estufa.

A iniciativa está alinhada ao projeto do estado do Mato Grosso do Sul de obter, até 2030, a certificação Carbono Neutro, reduzindo ao máximo a emissão de gás carbônico, gerado a partir da queima de combustíveis fósseis e da respiração dos seres vivos.

Neste momento, a realização deste projeto visa tornar Bonito o primeiro destino de ecoturismo do mundo certificado como Carbono Neutro.

Para o júri, assumir a neutralização de carbono de um destino importante como Bonito é assumir desafios importantes, em especial a longo prazo. Este desafio, incluído em um plano governamental de ter todo o Estado carbono-neutro em um curto prazo dá a mensagem para outros governantes e destinos turísticos de que a atividade de turismo de natureza pede socorro para que continue recebendo seus visitantes em um futuro não muito distante. 


Melhores soluções para a promoção da diversidade e inclusão


Nesta fazenda de café os visitantes praticam o "Turismo Consciente", onde além de conhecer e interagir com a cultura local, têm a oportunidade de ser coprotagonistas e conectar emoções centradas na conservação, respeito às tradições e no uso sustentável de recursos.

O La Union possui um programa que privilegia a contratação de pessoas com deficiência com habilidades excepcionais, por exemplo, guias em francês, alemão e inglês. Também contam com pessoal como intérpretes em língua de sinais colombiana.

A inclusão de pessoas com deficiência no setor de viagens e turismo é uma maneira eficiente de promover o debate e mostrar a urgência ainda vivida nos dias de hoje, em toda a América Latina, sobre a importância de se viabilizar oportunidades para este público. La Union Coffee Farm poderia simplesmente estar recebendo visitantes para conhecer o famoso café colombiano mas foi além. 


A Rede BATUC, da Bahia, reúne quilombolas, indígenas, agricultores familiares, pescadores, ribeirinhos, pastores, assentados da reforma agrária e coletivos urbanos. A Rede promove suas atividades turísticas como forma de promover a geração de trabalho e renda e como instrumento de resistência e transformação na oferta de um turismo sustentável, responsável e regenerativo.

Atualmente, a Rede BATUC está presente em 7 das 13 Zonas Turísticas do estado e em 10 dos 27 Territórios de Identidade, complementando a oferta turística baiana ao oferecer um turismo sustentável, responsável e solidário, apoiado na agroecologia, economia solidária e educação popular.

A Rede BATUC é reconhecida em todo o Brasil como pioneira nos esforços para promover a justiça à população negra, quilombola e indígena a partir do turismo. Este modelo bem sucedido promove o empoderamento comunitário com a formação de uma rede estabelecida em um grande território e dialoga com as emergências sociais tão em voga no continente latino-americano.


Fundada no final de 2016 por jovens empreendedores negros, a Diaspora.Black transformou o mercado turístico brasileiro, com a criação de um marketplace de turismo e cultura negra com serviços de divulgação e reservas de hospedagem (casas compartilhadas, hostels, pousadas, hotéis), roteiros, pacotes de viagens e eventos online (passeios virtuais, cursos, workshops, palestras, workshop...) e também, com a venda de treinamentos e consultorias para o trade turístico.

Para os jurados a Diaspora.Black tem um papel muito importante na inclusão da população negra no turismo brasileiro – país com o maior número de pessoas de cor no mundo fora da África, mas ainda assim colocadas à margem desta economia. Dar o protagonismo à pessoas negras é um desafio assumido há tempos por diversos personagens locais mas foia Diaspora.Black que, com sua estratégia de interlocução com o grande mercado, com grandes empresas de tecnologia como Google e Meta que acelerou este processo, possibilitando vários outros a acompanharem e promoverem seus negócios afro-centrados em todo o país.


Melhores iniciativas para a conservação da natureza


Las Torres Patagônia, é uma propriedade privada e área protegida, localizada no coração do Parque Nacional Torres del Paine (Chile).

Dentre as diversas iniciativas de conservação destaca-se o fato de Las Torres ter conquistado, por 3 anos consecutivos, o Ecological Outcome Verification concedido pelo Savory Institute. Ele mede e analisa a função do ecossistema com base no manejo holístico, pastejo planejado e regeneração do solo na Patagônia chilena. 


O empreendimento está localizado na zona rural de Santo Antônio do Jardim – SP e promove turismo de educação ambiental, recebendo gratuitamente escolas públicas e projetos sociais, inclusão de pessoas com deficiência visual, projetos de gestão de resíduos e reflorestamento.

Para os jurados o desenvolvimento de estratégias de recuperação ambiental aliado ao turismo pedagógico é uma estratégia importante para o futuro da conservação no Brasil. Iniciativas simples e replicáveis precisam ser reconhecidas pelos esforços e a Toca do Kaynã implementa algo possível e replicável em seu destino. 


Wilderness Patagonia sempre priorizou a prestação de serviços em áreas naturais protegidas porque acredita que além de realizar uma atividade turística ativa, o turista leva consigo conhecimentos específicos sobre porque e para que se cuida dos Parques Nacionais.

Para conectar turistas ou visitantes com os valores de conservação da Administração de Parques Nacionais da Argentina, promovem educação ambiental de várias maneiras e realizam estudos de impacto ambiental em parceria com o órgão gestor de unidades de conservação da Argentina onde foram geradas as diretrizes mínimas para poder desenvolver atividades turísticas com o menor grau de impacto na natureza.

O trabalho conjunto de Wilderness Patagonia com os órgãos de conservação ambiental locais aceleram as soluções muitas vezes emergenciais que um destino possa ter. Ao garantir que as ações entre poder público e privado acontecem em consonância e com o mesmo propósito as áreas protegidas ganham e com elas, o turismo e o viajante. 



Patrocinado por: